Nossa Origem,Nosso Ser

Do infinito nada surgiu o Grande Mistério, a infinita Consciência, o Divino Ser. Tudo Que É.
Então só havia Tudo Que É, esta infinita Consciência Divina. Porém mesmo infinito e sendo tudo, não havia mais algo neste infinito nada, além desta consciência de SER. Mas ser o quê?
Então este SER se transformou em Não SER. E o infinito nada passou a ser composto por SER e NÃO SER.
No momento em que o SER se transformou em Não Ser para que pudesse se reconhecer, posto que caso contrário não poderia fazê-lo, pois era tudo que era, e não se importou em deixar de ser para dar espaço ao não ser, originou-se o AMOR INCONDICIONAL.
Esta também é a origem da DUALIDADE. Ser, Não-ser; Amor, Medo; Belo ,Feio; etc. Daí que para reconhecer o ser precisamos também experienciar o não ser, daí que só reconhecemos no outro o que está dentro de nós e por isso quando julgamos o outro estamos reconhecendo nós mesmos no outro, e por isto realmente quando apontamos o dedo indicador para alguém para julgá-lo, outros três dedos voltam-se para nós, tipo, cuida do teu rabo que é mais comprido, deixa o rabo do outro prá ele cuidar!
Nesta transformação do SER em Não Ser surgiram os espíritos(complexos únicos de energia) com consciências próprias, mas originados do SER.
E aqui estamos nós com a mesma missão do SER, ou seja, nós nos reconhecermos através de tudo que não Somos e lembrarmos quem somos, ou seja, todos juntos somos Ele, todos juntos somos UM.
A dualidade serve para que através do amor incondicional percebamos que somos UM, que somos o SER, todos juntos somos o SER. Nenhum melhor ou pior que o outro.
Quando cada um se reconhecer Eu Sou, assumirá seu poder de co-criação, terá consciência da sua origem Divina e missão cumprida!

Rosangela Barcellos Carvalho-23 Jul 2017.
In sigths sobre a obra Conversando com Deus, de Neale Donald Walcsh, volume I.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *