Julgamento X Aceitação


Atentemo-nos, todo tipo de JULGAMENTO nos aprisiona de alguma forma, pois confrontamos o livre-arbítrio do outro e assim ficamos amarrados a ele. Quando é um autojulgamento nos enredamos em nossa própria teia diminuindo nossa força.
Quando julgamos nossos pais e ancestrais, infringimos a lei da ordem, muitas vezes nos achando melhor do que eles, assim deixando de reverenciá-los e por vezes os excluindo. Desta forma está feito o emaranhamento no nosso sistema familiar.
Nenhum ser nasceu para nos agradar, assim como não nascemos para agradar alguém.
O que podemos desenvolver de forma que permaneçamos livres para ser quem somos e deixar o outro ser livre para ser quem é, é trocar julgamento por ACEITAÇÃO! E precisamos praticar isto desde o pensamento, minuto a minuto, até chegar nas palavras faladas e escritas. Isto é libertador!
Extremamente libertador!
Aceitar nossos erros e a partir daí fazermos os movimentos propícios para modificar o que sentirmos necessário nos nossos pensamentos e atitudes.
Ao observar algo que contraria nosso ser nas atitudes do outro, apenas aceitar, sabendo que o outro é o outro, outro universo, outras experiências que o fazem agir como age, aceitar que é inútil querer impôr nossa forma de ver, sentir e agir sobre o outro, querendo modificá-lo. Cada um é cada um, cada um tem seu próprio caminho de evolução a seguir. Aceitar é a chave! A chave que nos liberta!
Nossos pais são pessoas como todas as outras, com direito a errar, aprender, seguir seu caminho como sentirem no coração. Não são seres perfeitos, são tão humanos quanto nós. Se na sua caminhada, mesmo estando presentes, não nos deram tudo o que gostaríamos, se eles foram embora, não acompanhando nosso crescimento, entendamos e aceitemos que foi o que conseguiram fazer dentro da evolução deles, que até nas piores situações que passamos, no tipo de estrutura familiar, em tudo, há uma Inteligência Divina colocando as pessoas e situações certas, apropriadas para os aprendizados necessários à nossa evolução! Há um motivo Divino para termos este pai e esta mãe, há motivo Divino para tudo que acontece, e nós atraímos tudo, conforme o que precisamos aprender pois nós somos Divinos. Independente de quem são e como se comportaram ou se comportam, eles são nossos pais. Lembremo-nos: Chegamos aqui porque eles nos deram passagem! Este foi o maior ato de amor! Dar-nos a VIDA! Reverenciemos este ato, agradeçamos aos nossos pais por terem nos dado a vida! Façamos o melhor da nossa vida! Sejamos o melhor que pudermos ser na nossa vida! Deixemos cada um em paz para ser quem é, aprender o que precisar,o que quiser e se quiser! Deixemos de lado o julgar e a partir de já passemos apenas a ACEITAR!
Shalom!

Rosangela Barcellos Carvalho – 30 Nov 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *